Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Almas velhas

Slow living, tal como a vida deve ser, com base na vivência com um marinheiro, uma saudosa alma velha que mudou a minha.

23 de Dezembro, 2019

Fazer contas a um bebé

Monica

Há algum tempo que sigo A tio patinhas no instagram, falamos sobre finanças e sobre o que nos vier à cabeça, e na sequência de uma dúvida qualquer que tive (não sei porquê, não a conheço pessoalmente, mas prezo a sua opinião direta, sincera e engraçada - go and follow) surgiu a ideia de fazer um post sobre quanto custa um bebé. 

 

Vamos por partes: este post é sobre quanto irá custar o meu. O "preço" vai depender de muitos fatores, de família para família e como estamos na altura do natal, em que o orçamento pesa um pouco mais no bolso que noutra altura (não deveria ser assim, mas deixo este "dar na cabeça" à Tio Patinhas)... vamos a contas?

O que precisa um bebé?

Como todas as perguntas sobre a vida, depende. No nosso caso, ponderamos imenso o que precisamos no dia a dia com um bebé, o que já temos e o que faria realmente falta, então primeiro de tudo pensamos na praticidade - quanto tempo vai o bebé usar isto? - e na educação - queremos aplicar o método montessori. 

 

O quarto 

O método Montessori, decidiu maior parte do nosso orçamento, juntamente com o gosto e prática do minimalismo. Então decidimos escolher uma cama de 200x90cm em vez de berço, porque é baixa, dá para mudar para cima ou baixo conforme as brincadeiras, não precisamos de mudar de cama conforme o bebé for crescendo. Optamos por investir numa almofada de amamentação maior, com atilhos para servir como proteção na cama e uma barra extra que é mais fácil de arrumar na garagem, quando o bebé não precisar, do que um berço inteiro.  

Optamos por ter um tapete de espuma no chão do quarto. Como o armário é imbutido no quarto, não teremos preocupações nem despesas extra nesse aspeto. 

Resumindo:

Cama: 149.99€

Colchão: 99.99€

Barra de segurança: 9.99€ 

Almofada amamentação: ~27€

Tapete de espuma: 21.99€

 

Fraldário

Consideramos não ter fraldário, pensamos muito e "qualquer lado serve para mudar uma fralda, certo?". Sim, de início. Tenho problemas de coluna e algumas coisas não podem ser dispensadas só porque sim. Acabou por fazer sentido termos o muda fraldas, mas como o objetivo é não sacrificar a nossa saúde, a do bebé e não sacrificar a praticidade também, optamos por aproveitar um móvel extra que temos na casa de banho e comprar apenas a esponja muda-fraldas e a capa.

Esponja muda fraldas: 7€

Capa: 5€

 

E o resto? 

Ter amigos com filhos é do melhor. Teremos coisas emprestadas que farão toda a diferença no nosso orçamento, mas não tenham medo de pedir. Da nossa parte, chegamos a comprar um carrinho em 2a mão que gostavamos, custou 180€. Entretanto, uns amigos disseram-nos que se tivessemos falado, teriam emprestado o deles, que é bem melhor e tinha exatamente o que pretendiamos: alcofa almolgada para carro, que se transforma depois em ovo e o carrinho de passeio com rodas grandes (ai, a bela calçada portuguesa). Pedimos na hora e acabamos por vender o que tinhamos comprado, com um lucro de 20€. Então teremos o carrinho/alcofa/ovo, a banheira e o next to me (berço para o lado da nossa cama para primeiros meses) emprestados. Andamos à procura de marsupio e outros amigos prontificaram em emprestar. Só nessas coisas, que iríamos gastar bastante, mas são necessárias, poupamos imenso.

 

Roupas e acessórios

Roupinhas para bebé e acessórios são uma perdição. Tudo tão fofo... e tão caro!!! Confesso que devo ter gasto uns 100€ em roupinhas, que se resume a 3 ou 4 bodies, 4 macacões, 2 conjuntos completos e 3 camisolas: não se iludam, se fizerem contas, toda a roupa comprada por nós, vai custar um balurdio. Mesmo assim aproveitei a kid to kid, saldos da zippy e primark para ter "algo comprado por mim". Mais uma vez, amigos e familiares, que gostam/querem dar sempre algo para o bebé, não desperdicem essas oportunidades, valem ouro. Posso dizer que nesta altura temos roupa suficiente para recém-nascido. 

Iremos fazer baby shower, mas fizemos uma lista de coisas que queremos mesmo: ajuda as pessoas a se habituarem a falar com os pais sobre o que vão comprar para o bebé (preferências dos pais, sempre) e ajuda a não ter coisas que não querem e nem sabem para que serve. Nessa nossa lista, pedimos roupa para 3m, 6m, 9m e 12m, consoante os meses e estação do ano em que irão ocorrer. 

Quanto a acessórios compramos um prende chupeta personalizado (podem ver no instagram) e um cinto de segurança para grávida

 

Fraldas e produtos de higiene 

Iremos usar fraldas reutilizáveis de tamanho único, ou seja, que usaremos a partir dos 5kg até ao desfralde. Até lá usaremos das descartáveis, de recém nascido até as reutilizáveis servirem.

Nas nossas contas, não compensava ter stock de fraldas reutilizáveis de recém nascido: é um investimento igual às de tamanho único, só dão até as de tamanho único servirem e, de  início, usaremos descartáveis... Mas por isso, é que colocamos fraldas descartáveis de recém nascido na lista de prendas para o baby shower. 

Até agora temos certa de 12 fraldas reutilizáveis e 16 absorventes oferecidos, 20€ gastos num workshop sobre fraldas reutilizáveis (que aconselho imenso), sobre os vários sistemas e tipos de materiais. O resto será investido por nós e estamos a contar gastar mais uns 70€ com o restante stock.

Quanto às toalhitas iremos usar reutilizáveis, encontramos um pack de toalhas de rosto no Ikea a 4€/10uni. 

Outros produtos de higiene, a avó tratou disso e há sempre o pack wells que se pode pedir na altura do nascimento. Não iremos usar antes dos 6meses, o aconselhado é usar apenas água no bebé, visto que a pele é ainda imatura. 

 

Outras questões

A alimentação ainda não foi pensada. Não sabemos o que vai acontecer, o plano é amamentar, mas caso não consigo essa despesa extra irá entrar para o orçamento, pelo que já vimos mais ou menos os preços das latas de leite, temos vindo a poupar o valor de 4 latas por mês (1 por semana). Não quer dizer que antevemos essa situação, mas caso aconteça, já não nos sentimos como um "arrombo" extra no nosso orçamento, porque estamos a poupar para isso. Caso não aconteça, não seja preciso, o dinheiro será para outra coisa que não pensamos, que iremos precisar na altura, ou não, pode servir para juntar para a conta do bebé. 

Muitas coisas vem de fora de planeamento: brinquedos que vemos e que se adequam ao que queremos para o baby, pequenos luxos, mas no final queremos ter a certeza que o bebé terá todo o conforto do mundo e que venha incluir no nosso estilo de vida. Não existe mal em pedir emprestado: temos desde roupas a coisas grandes emprestadas, o bebé usa por pouco tempo e enquanto não é usado outra vez, não ocupa um espaço desnecessário sem ser usado. 

Concluindo, temos um valor de aproximadamente 540€ gastos no bebé, sem contar o que vamos poupando. Se não falei em alguma questão, perdoem-me o meu cérebro de grávida (sim, vou usar essa desculpa) e perguntem à vontade, para satisfazer a vossa curiosidade.

 

Todos os links encontram-se no artigo, diretamente para os artigos mencionados. 

Adenda: Somos subscritores sixthcontinent e retiramos os vales do ikea de lá.. ou seja, dos 300€ que previmos gastar no ikea (sabiamos que era mais, tudo tão giro), compramos um vale de 250€ que ficou a 220€ numa das contas (acumulou pontos). Peçam vales e cartões oferta das lojas que acham que vão precisar.